Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos



  
Me chamaste? Aqui estou!
Prontinha para trovar.
Porém se não gostares;
Eu não vou te perdoar.

**********

 - Então, vamos lá?

********
 No afã de ter você; 
Te roubei um doce beijo.
A Lua fez um auê;  
Eu enrubesci do feito.

 **********
Com olhos do sentido,
Vejo você comigo.
Não tê-lo como amigo,
Melhor ir pro jazigo.

 **********
Nossa telepatia,
Atividade madrigal,
Se foi ao raiar do dia,
Num belo e triste final.

 **********
 À noite sonho contigo,
Acordada ou dormindo.
Por vezes fico fingindo,
Que você está comigo.

 **********
Tantas cartas escrevi,
Pensando ser tua amada.
Muita tristeza senti,
Ao me saber enganada.

 **********
Diz me ter na sua alma,  
De maneira muito calma.
Porém, não cuida mais de mim...
Como hei de viver assim?

 **********
 Meu amor, depois de você,
Não consegui amar ninguém.
Até tentei...! Deu fuzuê.
Amor maior você já tem?

 **********
Chegando ao fim da reta,
Coração esboroado,
Com a alma em pedaços;
Morrer é razão de festa.  

 **********
Você  lê a minha alma,
  Sem sequer me conhecer.   
E assim traz muita calma;
    Muita calma ao meu viver.    
 
 
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 05/09/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras