Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

229838_Papel-de-Parede-Gaivota-Voando-So


APENAS AVOANTE
Ysolda Cabral 



AS IMAGENS FICAM DÚBIAS
O RACIOCÍNIO NÃO EXISTE
O CORAÇÃO DISPARA

TUM...TUM...TUM...TUM ....

A MENTE ATRAIÇOA
SOA, OUSA...

A VONTADE NÃO PERSISTE
A LUCIDEZ ESCOA
O PESO É POUCO
O CORPO É OUTRO

TUM... TUM... TUM...TUM

A VOZ SOME
O SOM NÃO ECOA
A PERCEPÇÃO ENTOA
E A IMAGINAÇÃO SE DOA

TUM... TUM ... TUM ...TUM...

NÃO HÁ O QUE FAZER
NÃO HÁ O QUE SE DAR
NÃO HÁ DE NADA HAVER

NEM SE AVOANTE FOSSE
COM QUERER, SEM QUERER
SEM DIZER, SEM SENTIR
PRA QUE SER ?

TUM... TUM... TUM...TUM...

QUE BOM SERIA SEREIA SER
PRA NO MAR PODER CRESCER,
VIVER, MORRER E NADA TER...

CANTAR SÓ OS SENTIDOS
TOMAR OS SEUS OUVIDOS
SEM NADA A LHE DIZER...

CHORAR SEM EMOÇÃO
SEM SENTIR O CORAÇÃO
A LÁGRIMA SEM UNIR
NAS ÁGUAS DA CANÇÃO...

PARA QUE A EMOÇÃO
NÃO SE FAÇA DE ILUSÃO
NAS COISAS DA RAZÃO...

APENAS SOAR
NA SOLIDÃO UM CORAÇÃO
SEM AÇÃO
SEM NOÇÃO
SEM CANÇÃO
E SEM VISÃO...


TUM... TUM... TUM... TUM...


Recife-PE
20.05.2013
Letra Reedição

Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 20/05/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras