Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

1233521_208655209300324_873750840_n.jpg
 
NO MEU MAR
Ysolda Cabral
 
  
Com tanta clareza,
Não conseguia enxergar...
 
Como barco a deriva,
Num mar revolto,
Fiquei me deixando levar...
 
Por vezes sentia salgado o paladar,
Se das ondas, ou se das lágrimas;
Não consigo mais precisar...
 
 A desorientação era tanta,
Mais tanta, tanta;
Nem vale à pena lembrar...!
 
Sem vislumbrar horizontes,
E sem perspectivas;
Desisti de sonhar.
 
E, pelas asas do Destino,
Pela força da Sua Natureza,
Consegui me resgatar.
 
Não sei se foi num dia de domingo,
Ou numa segunda-feira.
- Aliás, tanto faz!  -
Para quem continua a navegar.
 
Recife-PE
29/08/2013
Em Reedição Ventania
 
**********
 
Ilustração: Carlos Lócio
Pintor pernambucano e professor de artes plásticas
 

 
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 29/08/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras