Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

As+aves+no+c%C3%A9u+DOURADO.jpg

Ao Poeta Odir Milanez
( Oklima )
 _____________________________________


Qual, que nada!
Ysolda Cabral
 
 
Ele é a própria poesia que me diz: ''Escreva, componha! Vamos!  Saiba que lhe acompanho do jeito que for.'' Eu, moleca que nunca cresceu, penso logo num tema complicado, trazido lá do complexo da minha alma, somente para fazê-lo atrapalhado e quem sempre se atrapalha sou eu.

Não tem jeito que me dê jeito! Faço birra, arengo, xingo num verso sem rima, sem métrica, sem nexo, sem nada! Contudo, ele acha bonito e manda de lá, num repente, um soneto que acaba comigo.

Nossos temas se entrelaçam e se casam na alegria, na tristeza, na solidão, na desgraçada da saudade... Até na ''dor de cotovelo''! Ah, esse tema me arrasa! Eu cismo com ele. Fico irada!

Mas o fato é que adoro compor tema desafiador somente para provocá-lo e ele não me desaponta. Chega chegando e eu toda apaixonada pela poesia me deixo seduzir por seu encanto, achando que poeta também sou.

Qual, que nada!  

 
 **********

 
Praia de Candeias-PE
Em reconhecimento
e agradecimento ao grande Poeta
por tantos presentes poesia.  
5ª. Feira - 16.10.2014


**********

 
34175.jpg?1409239610    16/10/2014 22:52 - oklima
 
Emocionou-me (e como sabes me encantar emoções!), o texto que a mim dedicas, poeta prosaica, Ysolda Cabral, musa-sorriso dos meus versos! E como foste magnânima comigo! Sabes bem que poeta não sou. Sinto-me, somente, um escriba que escuta a voz do vento e por ela versa versos vários. Poetas assim vistos, são: Álvares de Azevedo, Augusto dos Anjos, Drummond, Cora Coralina, Mário de Andrade, Quintana, Tarso de Melo, Vinícius e outros da mesma estirpe. Há um ditado português que dita "De músico, poeta e louco todos nós temos um pouco." Nessa categoria possa ser que eu me inclua e me aceite. Sei de teu coração generoso e de tua sensibilidade à flor da pele, e que te amo poeta desde o dia em que me vi sorrindo ao teu sorriso. Beijando-te abraços agradecidos por todo esse carinho com que me tratas, Odir.
 
**********

 
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 16/10/2014
Alterado em 17/10/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras