Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

images?q=tbn:ANd9GcSwD5HMBxqx1AIAgf34iIk

EQUINÓCIO DE OUTONO
Ysolda Cabral


O que mais me chama a atenção no Outono, pelo menos por aqui, é que o dia demora a nascer. Contudo, quando nasce, nasce decidido a se perpetuar por todas as estações. A noite, sabendo disso, chega mais cedo. Então, seria a noite tentando se perpetuar? É verdade que ela invade o dia muito antes da Ave-Maria. Ele, frágil, se deixa morrer, sem nem fazer uma última oração. E tudo parece mudar. Os pássaros se perdem pelos caminhos e só Deus sabe onde vão parar... Suas pousadas vagam e dão lugar a morcegos moribundos que, a duras penas, ainda se divertem vendo Estrelas Cadentes se jogarem sobre folhas secas. O Vento? Ah, esse deus não mais reticente, sem segredos para contar, se aninha no colo da mãe Brisa e se deixa acalentar, tal qual menino travesso. O Mar, sereno, que tudo assiste, sabendo que outro dia logo irá chegar, sorri ondas de tranquilidade e sabedoria.

É por isso que, independente das Estações, amo o Mar!


 
**********
 
Praia de Candeias-PE
Ondulando ondas de paz
Em 20.04.2015

Para ouvir a música, acesse:


http://www.ysoldacabral.prosaeverso.net
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 20/04/2015
Alterado em 22/05/2015

Música: La Mer - Francoise Hardy

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras