Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

amanha_1.jpg



O DIA DE AMANHÃ
Ysolda Cabral 



Batucada no ar,
ecoando das ondas que rondam Candeias.
O ritmo é bom e contagiante.
Ela ao longe e eu aqui, a batucar no teclado,
um tanto gasto,
um tanto irado comigo.
 Muito pouco o tenho procurado!...

A inspiração anda longe de mim,
e a liberdade para compor anda meio limitada.
Culpa dos entendimentos truncados e distorcidos,
que deixam qualquer poeta entristecido,
e sem vontade alguma
 de se dar aos devaneios.

Ele olha para o Céu, e não vê a lua nem as estrelas;
vai ao mar, e não sente vontade de marear mergulhos;
encontra uma criança, e não se enternece;
tem um jardim, mas não percebe o perfume das flores;
do amor não quer notícia, e da saudade quer distância...

O poeta, quando deveras triste, não quer conversa!...
Se o hoje lhe pesa, deslembra que a noite
é sempre promessa de ser amanhã.
E nascendo amanhã, quem sabe, lhe venha em bons ventos
versando as notícias que espera com tanto afã?


**********

 Praia de Candeias-PE
Em 13.05.2015 
Em meio a ventos e tempestades...


http://fugindodocontexto.blogspot.com.br

Para escutar a música acesse 
http://www.ysoldacabral.prosaeverso.net
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 13/05/2015
Alterado em 16/05/2015

Música: The Pianist schoubert - Desconhecido

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras