Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos



E eis que o meu Poeta Odir Milanez da Cunha - Oklima, em plena recuperação, já compõe sonetos como este que compartilho, abaixo, com alegria e agradecida a Deus e a todos vocês, meus amigos recantistas, pelas orações. E o Poeta, sensibilizado e muito emocionado, também agradece.
 
images?q=tbn:ANd9GcTeYscxZrkY5bVDl_2r04I


 
MADRUGADA 
Odir Milanez



Abro a janela ao vento, à madrugada.
De saudade um perfume assume a sala. 
Quanta falta me faz ouvir-te a fala! 
Como custa tua voz saber calada!

 
Três horas da manhã! Abandonada, 
a rua esconde os cantos, de onde exala
sabor sabendo a pão,, que se propala
pelos passos da pressa, há pouco, nada...

O sol assume as sombras, pouco a pouco.. 
Abraçado aos meus braços, me abandono. 
Converto-me ao cansaço, mudo e mouco!

Avivo à minha voz um novo entono.
Tento ser teu em versos. Quase louco,
esvazio de vez. Vence-me o sono! 

JPessoa / PB 
04.11. 2015
oklima
Sou somente um escriba 
que ouve a voz do vento 
e versa versos de amor...
 
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 05/12/2015
Alterado em 05/12/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras