Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

 5452271416_2cbf266e0e.jpg



APENAS UM ESTADO DE ESPÍRITO
Ysolda Cabral
 

 
 
Quando nasci um anjo falante disse: "Ele morreu para que você pudesse vir a nascer, para viver e, também, sofrer para depois morrer."E a  santa e abençoada ignorância, do comitê de chegada, disse:  "Que bom que você chegou e vai se chamar Ysolda!  Sê bem-vinda e seja feliz, essa menina!"

Feliz? Feliz mesmo? Quem é?... Existe alguém feliz de verdade, todo o tempo e o tempo inteiro?... Existe muita gente aparentemente conformada com a vida que tem, com seus altos e baixos; e os que não se conformam e nutre a esperança de vida melhor depois da morte, por merecimento...Há também os que não acreditam em nada, até que se prove o contrário. 

Complicadas e complexas observações faço agora nessa minha análise existencial, própria de uma 5ª. Feira Santa, sem competência para tal, porém sem maiores pretenções. A não ser; amenizar a dor do meu próprio abandono, levada pela consciência do nada absoluto que sou e que me faz questionar a razão de estar aqui, conjecturando a validade do sofrimento Dele por mim. -  Mas, ninguém responde!

Neste momento, diante da minha própria incredulidade e perplexidade da consciência de nada ser, me vem das ondas do Mar, um murmúrio de acalanto que faz minha alma aquietar e a Deus pedir perdão por tanta asneira.

- Afinal, há tanta vida e beleza no dia que vejo lá fora!...
 
**********
 
Praia de Candeias-PE
Em 24.03.2016
5ª. Feira Santa
 
Sou apenas Ysolda 
uma pessoa que escuta
o murmurar das ondas do Mar
e sente coisas que não compreende.
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 24/03/2016
Alterado em 24/03/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras