Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos


13516647_1060942323976281_17825137430733

Foto: Ysolda e Yauanna  -  Gravatá-PE - Jun/2016


MINHA FILHA CRESCEU
Ysolda Cabral  
 

 
E um dos mais lindos e animados mês do ano vai chegando ao fim. E, como sempre, cá estou a fazer o balanço do que realizei durante o mês que ora finda, e, por incrível que possa parecer até mesmo para mim, o saldo é positivo.

Não, não pense que realizei grandes coisas, apenas saí um pouco da ''caverna'' e andei a perambular pelas plagas de Gravatá - PE, a nossa Suíça Brasileira (alguns dizem que é Garanhuns-PE) e por Caruaru-PE, pensando  ainda ser Ysolda no ''País das Maravilhas'' Juninas. Tudo em companhia da minha linda e amada filha Yauanna.

Fui até ''shopingcentear,'' com ela! E, com direito a almoço, compras e filminho, com pipoca e coca-cola, ocasião em que, considerando o feriado completo e encerrado, decidi que estava na hora de parar de gastar e decretei a nossa volta para casa imediata.

Entretanto, ''no meio do caminho tinha uma pedra''... Não era uma pedra qualquer, era uma barraca de fogos de artifícios e ela me olhou com o mesmo olhar de quando tinha cinco anos e falou: '' Mamãe, compra traque de massa para mim!'' Estupefata, sorri e segui em frente. - Juro que não pensei que falasse sério!

Em casa notei o seu desapontamento, quando da janela ela olhava as crianças do outro lado da rua a soltarem fogos. Aproximei-me e ela comentou que se lembrava de ter soltado estrelinhas uma vez, para logo em seguida ficar com falta de ar, devido a sua alergia e que o traque era  ''massa'' por que esse nunca lhe deixou com asma... - Senti-me mal de não ter parado na barraquinha...

Na manhã seguinte, sábado, corri e fui comprar uma caixa dos fogos que tanto ela queria, e, quando acordou e viu em cima da mesa a caixinha, com dez pacotes de traque de massa, ela correu feliz, muito feliz mesmo, para mim e me abraçou agradecida. - Contudo, hoje, terça-feira, a caixinha continua intacta e no mesmo lugar.

- Teria sido a consciência que a fez ver que cresceu?... Não sei!...  Eu só sei que, também, sinto vontade de soltar uns traques de massa e alguns balões, não pela casa posto que, não tem graça, mas pelas ruas de minha cidade que nem existe mais.

Algumas vezes, não são todas, o adulto que somos por fora, não deixa a criança que mora dentro da gente sair, por receio dela ser magoada, ridicularizada...

- Ah, que vá às favas! Não soltamos fogos no São João, soltaremos agora no São Pedro!  E tenho dito.


 
Praia de Candeias-PE
Voltando a ser menina
Em 28.06.2016
Apenas Ysolda


Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 28/06/2016
Alterado em 28/06/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras