Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

Coffee-coffee-13874629-1920-1200.jpg



CHEIROS NO ENTARDECER
Ysolda Cabral
 
 
Neste momento a solidão e o vazio são tão intensos que o Mar, visto da minha janela, parece um pequeno lago, ressentido de ter perdido para mim a sua imensidão. Sorrio para ele triste, porém compreensiva, pois em seu lugar eu também estaria aborrecida.

- Fica assim não! Rogo-lhe com sinceridade. Amanhã a minha maré muda e o seu ressentimento não mais se justificará. Afinal, isso é ilusão criada pelo meu estado de espírito, fruto de uma sensibilidade aguçada e inútil. - Nunca serviu para nada!... Se eu fosse um anjo seria um anjo sem nenhuma serventia.

Respiro fundo e o peito vazio se enche do perfume peculiar que há hoje no Entardecer... – Seria cheiro de café?  O café que minha mãe preparava bem na hora da Ave-Maria?

Dele eu bebia com gosto o aroma, depois rezava e me recolhia aos meus sonhos de menina que acreditava o mundo ficar melhor bem no outro dia.

Entretanto, o cheiro que sinto agora é o de batata doce queimada e vem bem da minha cozinha.

Contudo, como não sou mais menina... Deve ser muito bom o gosto de batata doce queimada, desde que não esteja quente.

**********
 
Praia de Candeias-PE
Em 15.07.2016
Sexta-feira

Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri
de alegria, tristeza ou saudade sem pudor.

Para escutar a música de fundo, acesse:

http://www.ysoldacabral.prosaeverso.net
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 15/07/2016
Alterado em 15/07/2016

Música: SOLIDÃO - Alceu Valença

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras