Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

15391085_1239105826159929_52587142654506
Avenida Boa Viagem - Recife -PE.
Imagem Ysolda  



E AGORA JOSÉ?

Ysolda Cabral
 
 
Hoje minha saída de casa para o trabalho foi bem preocupante. A cada 02 km, encontrava um comando do exército, ostensivamente armado. Senti medo, tristeza e saudade. Três sentimentos conflitantes que me levaram ao porta-luvas do carro para pegar as minhas balas calmantes - mentos de morango. Não ando sem elas, desde que parei de fumar há mais de 20 anos. Infelizmente, acabei o estoque na viagem do último final de semana, e o jeito foi imaginar o seu sabor para me acalmar. Entretanto, o sabor que senti foi bem amargo.

Como o trânsito estava bastante lento, – acho que todo mundo estava tenso como eu -, tive tempo para refletir sobre o medo que eu sentia e que se limitava, único e exclusivamente, ao tempo que já vivi, mas a minha filha ainda não. E, diante das conjunturas atuais, que futuro ela pode esperar?... Senti arrepios na coluna e procurei me despreocupar me lembrando da fé...

- Aí, Ysolda, presta atenção! O semáforo está no verde. Que tal ir adiante? Eu não queria ir... Queria estacionar o carro e sair para fotografar o Mar, sentir o seu cheiro de perto. Mas, não convinha, apesar de estar bem adiantada da hora que teria que chegar ao trabalho.

- Que coisa triste é ter vontade de estar perto do Mar e a prudência lhe falar que o momento não é propício! A sensação de impotência me deu uma tristeza tão medonha que senti saudades do tempo que eu poderia parar no acostamento e ir até tomar banho, se eu quisesse, sem temer mal nenhum. Ninguém ouvia falar em protestos, greves, substituição, arrastão, tubarão, intervenção, ou não sei o que mais lá!...

Tempos bons, mas que a gente arranjava um jeito de reclamar. No fundo sabíamos que era implicância, rebeldia... O futuro não nos preocupava de maneira alguma! Ele estava lá a nossa espera e com todas as oportunidades. - Não havia pressa de chegar!

- E agora José?... Que futuro terão os nossos filhos, os nossos netos se não há segurança, nem emprego, nem tranquilidade? ... Se não há estabilidade e não há esperança embasada de possibilidades possíveis num futuro próximo?!...

Carentes que somos de direção, sem timoneiro, estamos todos num barco a deriva no Mar da ilusão, a afundar no mais profundo desastre humano, e isso se dá quando o homem deixa de ser humano para ser uma fera temida, se encurralada e sem saída.

- Tristes perspectivas para 2017 ...
 

 
Praia de Candeias-PE
Em reflexão
12.12.2016
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.

www.fugindodocontexto.blogspot.com

 
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 12/12/2016
Alterado em 12/12/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras