Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

A imagem pode conter: 1 pessoa


PE. COSMO  - UM PADRE DIFERENTE
Ysolda Cabral  

 
 
Nasci e fui criada em ambiente onde a religião era discutida sempre, e com um detalhe: mamãe era católica e papai evangélico da Igreja Presbiteriana. Mamãe nos ensinou a rezar e papai nos ensinou a falar com Deus. Eu e os meus irmãos fomos batizados na religião católica, onde, também, fizemos a primeira comunhão, apesar de papai achar que, seria melhor deixar a gente crescer para decidir. Contudo, prevaleceu a vontade de mamãe e foi bom. Quanto a casar; eu e a minha irmã mais velha casamos na igreja católica. Já o meu irmão casou na Evangélica, apesar de ser o mais católico de todos nós. As duas outras nossas irmãs (somos quatro mulheres e um homem) decidiram, inteligentemente, não casar.

E assim crescemos, ficamos adultos, rezando e conversando com Deus, e em qualquer lugar que sentíssemos vontade. Confesso que a decisão de me divorciar, indo de encontro à religião de mamãe foi muito difícil e só me divorciei porque realmente não havia outro caminho. Muito esporadicamente vou a Igreja, mas, normalmente, vou quando não há missa. - Gosto do silêncio e da calma que encontro ali.

Na semana passada o presidente do Crea-PE, onde trabalho há 25 anos, convidou um padre para rezar uma missa de ano novo para todos nós. - Foi emocionante ver colegas de várias religiões participando do evento religioso com respeito e, alguns até participando na realização dele, quando, um colega evangélico, por exemplo, contribuiu com a leitura de parte da Liturgia.

Como sou meio avessa ao ritual católico, principalmente ao senta e levanta, apesar de respeitá-lo, fiquei mais na observação do que se passava, chegando, em vários momentos, a me emocionar com o que via e ouvia.

A missa foi bonita, cantada quase o tempo todo. O padre a princípio não me convenceu muito, entretanto, aos pouquinhos foi me conquistando e me fazendo querer não escutar a cantoria, e nem as leituras dos ''colaboradores'' e sim a sua fala mansa, instrutiva, inteligente e muito, muito espirituosa. - Gostei daquele padre, sobremaneira.
 
No fim do ofício me senti leve, alegre e ao mesmo tempo triste por ter terminado. Foi quando Bernadete, uma colega e amiga, falou: '' Vai lá, Ysoldinha! Pede uma bênção ao padre! Achei aquilo meio esquisito, mas uma bênção, e/ou oração, é sempre tão bem-vinda... - Fui.

E eis a grande surpresa: após abençoar-me, o padre me deu um abraço, um beijo no rosto e quando eu já ia embora, ele me segurou pelo braço, e disse para eu levar minha filha ao médico posto que, ela precisava fazer uma cirurgia. – Fiquei pasma e sem acreditar no que ouvia. Sem saber o que dizer e nem o que pensar, lhe sorri em agradecimento.

Ontem, coincidência ou não, minha filha precisou ser atendida na emergência do Hospital da Unimed Recife e a médica que lhe atendeu, disse que ela vai precisar  de uma cirurgia para retirada das amídalas, tão logo a infecção seja controlada, inclusive, aconselhou procurarmos, de imediato, um especialista nessa área para acompanhar a evolução do quadro.

Saí do hospital, pensando no  Pe. Cosmo, em Anjos do Bem  e nos mistérios da Vida...

 
********
 
Praia de Candeias-PE
09.01.2017
Apenas Ysolda 
 
E.T. Soube depois que o Pe. Cosmo Francisco do Nascimento é diferente da maioria dos Padres e muito, muito especial. Para saber um pouco mais desse maravilhoso e incrível ser humano, é só pesquisar no Google. Ele tem até Facebook! 
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 09/01/2017
Alterado em 09/01/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras