Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

A imagem pode conter: sapatos
Imagem Google


MINHA SOMBRA
Ysolda Cabral


Sem uma plausível razão, 
vejo tudo preto no branco...
A tristeza é tanta que a solidão
me convida para dançar tango.

Paro e penso... E porque não?
Se não há música, eu canto!
E o canto vem com emoção,
cantando o meu desencanto.

Logo me recolho acanhada
à minha total insignificância.
Sobra sombra admirada

na parede fria e alaranjada,
comemorando a extravagância, 
se descabelando de dar risada.

**********
Praia de Candeias-PE
Em 27.03.2017
Apenas Ysolda

(Seguindo os passos poéticos
da minha musa, Ysolda Cabral)


Nenhum texto alternativo automático disponível.
Imagem do Google


ESQUELETO
Odir Milanez

Sem restar razão plausível,
vem tudo branco no preto.
A solidão, senso horrível,
se convida a ser soneto.

Penso e paro. É impossível!
A si não me submeto!
Sem ceder crença ao incrível.
ao parnaso me arremeto.

Mas não escuto o inaudível
Volto ao meu antigo gueto
onde o verso é-me acessível.

Pinto no muro um esboceto.
O rascunho é inconcebível:
há de poesia um esqueleto!!!

JPessoa/PB
28.03.2017
oklima

Para escutar a música de fundo, acesse:

www.ysoldacabral.prosaeverso.net


 
Ysolda Cabral e Odir Milanez
Enviado por Ysolda Cabral em 28/03/2017
Alterado em 28/03/2017

Música: Música dramática e de suspense - Requiem For A Dream - Versão alternativa

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras