Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e sapatos
 
Estou no primeiro degrau, de braços cruzados, com a Marta Prestrelo bem na minha frente. Não me recordo o nome das outras garotas. 


"JOVEM  CHARME – 1970"
Ysolda Cabral
 
Quando contava a idade de dezesseis anos, em 1970, eu, e mais quatro garotas, todas mais ou menos da mesma idade, fomos convidadas, pelo cronista social, Jotta Lagos, para participar do Concurso “Jovem Charme” de nossa Caruaru querida. O evento aconteceria no intervalo de um baile de gala, num dos clubes da cidade, - não lembro se foi no clube Intermunicipal ou no Comércio... Parte da renda seria destinada à filantropia, razão de nossos pais permitirem, sem muita resistência. - O motivo era nobre.

Dias antes fomos encaminhadas para um rápido aprendizado e/ou ensaio, para que fizéssemos bonito na passarela. Depois de recebermos orientação quanto à postura, como caminhar, escolhermos a música para nos acompanhar na passarela, ( escolhi Hit The Road Jack de Ray Charles), e até o local para a foto que tiraríamos juntas; consideraram que estávamos prontas. Quanto a roupa a ser usada no desfile, desde que fosse na cor vermelha, estava tudo certo.

Finalmente chegou o dia do Concurso, e, entre idas a modista, Leny Pierre de Mendonça, e a competente amiga  cabeleireira Zefinha, logo chegou à hora de ir para o clube. – Nossa, como eu estava ansiosa, nervosa, feliz!...

Não pensava se iria ganhar ou perder, eu não dava a menor importância para este detalhe. Só sei que estava adorando participar e reconhecia a beleza, elegância e charme das minhas concorrentes. Uma, em especial, me chamava à atenção por sua beleza tímida e angelical, Marta Prestrelo, inclusive, era ela a única que eu conhecia, pois morava próximo à minha casa. O fato é que, ganhar ou perder, para mim, nunca teve a menor importância.  Até hoje sou assim.  

Pouco antes da minha apresentação, eu estava com as mãos geladas, as pernas trêmulas e uma dor esquisita no estômago. Resolvi tudo com um calmante chamado Chocolate Prestigio.  - Por sinal, ainda hoje o utilizo. O clube estava lotado e muito, muito animado, – o povo da minha terra é alegre, hospitaleiro e adora uma festa.

Quando chegou minha vez, entrei na passarela e a partir daí não vi mais ninguém. - Juro que não! Eu só conseguia escutar a música do Ray Charles, que eu adorava e de forma tão intensa que esqueci totalmente onde estava, e terminei o desfile dançando ao ritmo da bela e contagiante canção.

- Ganhei o Concurso!
 
**********

Nesta foto só lembro de Jotta Lagos
e de Marta Prestrelo, junto de  mim, a direita da tela. 


A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

Comecei a desfilar séria e compenetrada

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, sapatos e noite

Joguei tudo para o alto e tratei de aproveitar a música
   
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé, sapatos, atividades ao ar livre e área interna


Ganhei o Concurso 

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

**********

Praia de Candeias-PE

Em ondas de recordação
06.07.2017
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.
www.fugindodocontexto.blogspot.com.br

Para escutar a canção do Ray Charles, acesse:
www.ysoldacabral.prosaeverso.net


 
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 06/07/2017
Alterado em 06/07/2017

Música: Hit The Road Jack - Ray Charles

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras