Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos

 
Resultado de imagem para mulher esnobe
Imagem Google

 
MUXOXOS MEUS
Ysolda Cabral

 
Talvez pela proximidade do Carnaval, o moço da padaria tenha me dado um bom dia tão animado. Respondi no mesmo tom, porém pensando com meus botões que o dia nem parecia tão bom assim.

Amanheceu meio nublado e eu ainda um pouco resfriada, o corpo cansado, a mente um tanto turva, piorada pela noite insone e pelo fato de não ter condições de faltar ao trabalho posto que, sou uma aposentada que precisa trabalhar e receia a reforma da Previdência, ao mesmo tempo em que, se anima e se orgulha dessa possibilidade. - É que a reforma vai tirar o  Brasil do  atoleiro. - Viva!

Mas, deixando os devaneios de lado e voltando à crônica... 

Um 
''bom dia'' animado assim, para quem? Só se for para os mesmos e me resiginei a longa espera tendo em vista que, quando cheguei, o funcionário já estava atendendo uma entojada, com sotaque de lugar não identificado, que queria, por que queria coisas que a padaria não tinha. Tipo: pão feito de não sei o quê, de não sei onde; queijo dos Alpes Suíços, presunto de Parma - um dos presuntos mais famosos da Itália, e, a cada negativa do atendente, ela balançava a cabeça indiginada, entortando a boca. - Isso na minha terra se chama muxoxo. 

Como não sou intima da paciência e queria apenas meio quilo de queijo do coalho, feito em qualquer lugar do alto sertão, ou não, bem como, uns quatro pães; interrompi a "peleja" pedindo alto e em bom som: – Ô, esse menino, por favor! Quatro pães francês de Candeias mesmo! E, no lugar do queijo, pedi mortadela, só para provocar a entojada que me olhava com desdém. O funcionário não se fez de rogado e mais que depressa me atendeu,  aliviado de se livrar dela. - Eu acho!

Dirigi-me ao caixa e arrisquei uma olhada de soslaio na dita cuja. Ela, vermelha de raiva, ajeitando a saia curta e justíssima, estava indo embora, encarando o desafio de se equilibrar nos altos e finos saltos, dando muxoxo até para a calçada de piso irregular.

Caímos todos na risada. E, não é que o dia me pareceu bem-bom!

Quanto a mortadela? - Comi e com muito gosto. Fazia anos que eu não provava tal delícia. E foi assim que, de repente, não mais que de repente, me ocorreu a  seguinte possibilidade: será que o homem que quer, por que quer uma mulher, de conduta duvidosa, como ministra do trabalho, e tapar os roubos dos seus pares com a reforma da Previdência, já comeu mortadela algum dia? 
 

Muxoxos meus...
   
 
**********

Praia de Candeias-PE
31.01.2018
Apenas Ysolda

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
 tristeza, ou saudade sem pudor.

http://ysoldacabral.blogspot.com.br/ 



http://www.ysoldacabral.prosaeverso.net/

 
* Muxoxo: Estalido que se faz com a língua ou com
os lábios para demonstrar desprezo ou desagrado. 
(Dicionário Priberam da Língua Portuguesa).
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 31/01/2018
Alterado em 02/02/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras