Ysolda Cabral em Prosa e Versos

Uma pessoa que chora e ri de alegria, tristeza ou saudade, sem nenhum pudor...

Textos


 
Imagem Google 


TEMPOS DE PÁSCOA - MEU JESUS
Ysolda Cabr
al 


 
Quinta-feira Santa...  Preciso me concentrar, pensar, refletir, meditar... Rezar, orar,  ou simplesmente conversar com Deus, com Jesus, ou, com o Divino Espírito Santo. Na dúvida, escolho Jesus. Deus é muito ocupado! Eu acho. O Espírito Santo é meio aéreo. Deve ser Poeta. Vive a flutuar por algum jardim do Paraíso! Imagino. Já Jesus, não. Jesus sempre está disponível para uma boa conversa, uma arenga, uma peleja, sem pé e nem cabeça. Jesus tem cabeça fresca e sabe ser amigo.

Muitas vezes O vejo junto a mim, me escutando na maior paciência. - Acho tão bonito! Sinto-me importante, prestigiada e arrisco até a Lhe dá conselhos! Sou atrevida. Ele não liga e atento me escuta e escuta os maiores absurdos. Quando retruca, os seus argumentos são simples, fáceis de entender, uma vez que são objetivos, inteligentes e lógicos. Jesus é bom de prosa e só nos conforta. Independente do problema, Ele acha a solução e é tão generoso e tão humilde que deixa a gente pensar que fomos nós que a encontramos.

Simples e da mesma idade da gente, Jesus usa calça jeans, camiseta; adora uma praia e por os pés no chão, na terra, na areia... Por vezes preciso Dele, mas não estou para conversas. Ele não se importa e me acompanha na caminhada à beira mar. Se canto baixinho uma canção, Ele canta comigo o refrão. Logo a angustia, a tristeza e o cansaço desaparecem. Sinto-me desperta, menina e repleta de idéias, sonhos e ilusões. É quando a poesia aflora potente e toma conta de mim. Jesus me olha de soslaio e sorrir... Eu Lhe faço uma careta e seguimos juntos olhando a bela paisagem, sentindo o cheiro do mar, escutando o sussurro das ondas a acariciarem nossos pés descalços. Gostamos da companhia um do outro. Vez em quando paramos para curtir um pouco as lindas garças, pousadas graciosamente, nos arrecifes.

Depois de nossas conversas e caminhadas, me pergunto à razão de não ter Lhe perguntado um monte de coisas importantes. Como por exemplo: gostaria de saber a razão de tanta desigualdade, rivalidade, entre os seres humanos; a razão das catástrofes e das guerras. A razão de tanta violência; de tanta fome. A razão de não chover onde a terra precisa da chuva para fazer brotar o pão; a razão Dele não fazê-la parar, no lugar onde ela cai somente para causar sofrimento e destruição. Queria tanto saber a razão, o porquê, Dele permitir que os homens se comportem de maneira tão violenta e absurda. Alguns se acham deuses, acima do bem e do mal. - Ah, queria tanto perguntar e pedir para Ele acabar com essas coisas! Entretanto, não pergunto nada, não peço nada e só me preocupo com os meus problemas tolos.

- Ah, que vergonha, que tristeza! Estou precisando refletir mais sobre mim, sobre minhas atitudes... Afinal, o sacrifício, ao qual Ele se submeteu, pela vontade de Seu Pai, para que pudéssemos aprender o caminho que devemos trilhar, em busca da salvação, tenha valido a pena.

- Que todos tenham uma Páscoa proveitosa e abençoada.

 
**********
 
Praia de Candeias -PE
Em reedição por gostar demais desta crônica. Creio não ser capaz de escrever outra igual. Até parece que escrevi agorinha mesmo!
  29.03.2018

Apenas Ysolda 
Uma pessoa que chora e ri de alegria, 
tristeza, ou saudade sem pudor.


http://ysoldacabral.blogspot.com.br/ 
http://www.ysoldacabral.prosaeverso.net/
Ysolda Cabral
Enviado por Ysolda Cabral em 29/03/2018
Alterado em 29/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras